31 de mar de 2008

O Mundo Taí, Esperando Você

Foto: Rozzi Brasil


É, parece que finalmente o ano começou... E nunca começou tão cedo! Já sabemos qual escola ganhou, qual subiu e qual desceu! Talvez agora encontremos as pessoas que precisávamos encontrar há um mês... Acho até que já dá pra fazer a inscrição naquele concurso e começar a procurar emprego! Vixe! Que começo de ano é hora de pensar em coisas sérias!
Mas se por um lado existe a crença que o ano começa depois do carnaval, para mim tanta coisa já aconteceu! Cadê aquela listinha de coisas pra fazer em 2008? Lembra? Academia, dieta, parar de fumar, falar mais baixo, dominar meu gênio? Não sei se perdi no mar quando entreguei flores pra Yemanjá, logo no reveillon ou se caiu no pula-pula no bloco... Só sei que parece que já faz muito tempo!
Às vezes adio coisas que preciso fazer mas que não tenho a menor vontade de fazer. Início de ano e já descubro que a maioria das coisas necessárias são tão chatinhas! O meu ano começou tão cedo que quando aparece alguém bronzeado e sorridente recém-chegado de férias me pedindo algo, tenho vontade de mandá-lo voltar depois do meu aniversário! O meu ano novo já era, porque já comecei a pensar nas grandes questões como por exemplo: Por que os dias úteis são de segunda a sexta, se não dá tempo de fazer nada neles a não ser no final do dia, sair do escritório lembrando do que esqueci e do que não deu tempo de fazer?
Fevereiro nem chegou ao meio e cá estou eu a esgotar o meu raciocínio e claro, a paciência de vocês com outra grande questão: Nunca me arrependi por um final de romance. E sei que diversamente do que possa parecer, abandonar é morrer um pouco ou morrer muito, de morte lenta e dolorosa.
Não é mais fácil abandonar que ser abandonado. Dar o fora é difícil e doloroso desde o início, quando ainda não sabemos o que devemos fazer. Até criarmos a certeza de que a separação é o caminho, pode-se passar anos de felicidade-meia-boca, ou de uma infelicidade completa ou de uma vida sem nenhum sentido...
Verdade, sim, que a decisão vem rápida quando turbinada por uma paixão avassaladora (gosto dessa palavra), mas ainda assim, há quem espere o fogo da paixão abrandar para decidir, depois do fogaréu, se restou algum calor e em qual ponta da brasa... Mas nenhuma mudança de vida é gerada por calor de brasa ou a toque de água morna: o banho-maria só leva ao deixa-estar-pra-ver-como-é-que-fica! Ou seja, se você pensa enquanto está apaixonado, é porque eesa não é uma paixão de fato.
A falta de felicidade algumas vezes bateu à minha porta e eu que não sabia como gerenciar uma relação sem o sentimento de felicidade, passei anos na dúvida do vou-ou-não-vou, pensando: "será-que-é-isso-mesmo-o-que-eu-tenho-que-fazer”? E tornava-me ainda mais infeliz, por pensar em magoar alguém que parecia me amar tanto... Tão bonzinho... Dedicado... Ah, Esses bonzinhos! Depois de nos livrarmos deles percebemos o quanto são chatos e o quanto eram egoístas e aproveitadores da nossa miopia...

Ás vezes me parece que perco tempo, que ando devagar, que fico devendo à voracidade que as rodas de amigas me impõem. Enquanto elas saem com 3, 4 ou até mais eu ainda na mesma... Enquanto elas se divertem tanto, eu fico buscando soluções e claro, cobrando atitudes, movimento. Pra não ser chata, tento não discutir a relação, mas não consigo evitar meu desejo de que as coisas mudem! Prefiro mudar as coisas, não a pessoa! Acho legal saber que estou voltando pra casa para encontrar uma pessoa que conheço...

Claro que gosto daquelas batidas fortes, aqueles arranques do coração a caminho do encontro com a novidade. É delicioso ver que alguém caiu na nossa conversa lá naquela boate obscura, naquela praia preguiçosa, na fila do banco...
A aventura acelera o sangue, dá um gás na fantasia, alucina geral... No entanto, é tão bom um domingo chuvoso, um filminho qualquer, um café na cama com aqueles ridículos que só a intimidade provoca e só a intimidade pode perdoar...
Ah, ter de se vestir, fazer caras e bocas e preencher aquele enfadonho currículo:- “Onde você mora? Trabalha em quê? Quantos anos tem? Você tem carro?” E pra relaxar: “A-do-ro essa música”! Pergunta que se estivermos mesmo ‘a fim, temos que responder, “eu também”!
O ano começou! Agora, pra valer, definitivamente! Decisões a tomar! Mãos à obra. Sozinho ou acompanhado, não tem mais desculpas o mundo taí esperando por você!
____________________________________________________________

De frente pro PC, analisava um e-mail que oferecia um pacote de carnaval numa pousada paradisíaca. Tinha vontade de ir, mas também gostaria de ficar, olhar o movimento na Sapucaí, xeretar as bandas e blocos. Avaliava que qualquer das duas opções seria realmente interessante se tivesse companhia. Meu Deus, porque os amigos casam?! Passava na memória a lista de amigos disponíveis: alguns desempregados, outros sem grana suficiente pra viajar... Alguns escandalosos demais, vai que passa algum conhecido... Não isso não!

Pensando desta forma a pousada era mais segura, por outro lado, pousada parece uma coisa tão de casal, que duvida se encontraria alguém solteiro ou com lua de mel vencida.
Céus! Porque diante de qualquer diversão, a gente sempre prefere se divertir beijando na boca?! Há pessoas tão divertidas, tão interessantes que dá até raiva ver que estão ocupadas!

Era assim, uma pessoa que nem gostava tanto de barulho, mas carnaval é diferente. A gente tem a desculpa que é só brincadeira e quem ta na chuva é pra se molhar. Sim, verdade que alguns grandes amores nasceram no carnaval, mas é uma verdade maior ainda que amores maiores ainda se acabaram nos braços de momo...
Vítima de uma grande idéia pega o telefone:

-Oi! E aí vai fazer o que no carnaval?
-Ah, vou me acabar! Escola de samba domingo. Bola Preta na sexta.Badalo de Santa, Banda de Ipanema , Monte Líbano e descansar no Concentra Mas Não Sai, almoçar um dia no Ernesto. Aproveitar porque carnaval não precisa se preocupar com a pinta, nem procurar o lugar certo, a gente acha o que fazer em qualquer lugar! E você?
Com os olhos brilhantes de cobiça, a boca salivando o pensamento agitado - Já fazia tempo que era a fim daquela criatura e ela nem aí. Agora essa! No carnaval dando mole, despreocupadamente, cerveja, birita, calor, roupa curta e animação, essa combinação lhe mostrava um futuro promissor ainda que por alguns dias ou horas. Se tudo desse certo quem sabe emplacava a semana:

-Tô pensando em viajar. Ando meio de saco cheio de tumulto... Quero me esconder de confusão, sabe como é...
-Hum... Viajar pra onde?
-Ah, pra um lugar bacana, que me disseram que tem gente bonita, tratamento VIP, paisagem bonita, ofurô, garçon servindo na piscina. Sabe essas pousadas que o povo vai pra namorar ou pra esquecer que não namora faz tempo... . Quero sossego. To fugindo de confusão, entende?
-Claro. Vai só?
-Sim.
-O que você vai fazer num lugar bacana com tratamento VIP sem companhia? Pretende encarar o ofurô com o caseiro ou com a cozinheira?!
-Ah, sei lá. Preciso respirar e também queria ver como o meu carro novo se comporta numa viagem longa... Mas detesto dirigir só...
- ...
-Carro novo, é? Essa pousada... Aceita cartão? É cara?
- Camelô de cerveja não aceita cartão e nessa época o que é que tem de barato? Mas garanto que ainda gasto menos do que você vai gastar pulando, rebolando, bebendo. Essa sua programação é coisa pra Rei Momo!
-É que quero mostrar como estou feliz depois da separação
-Sei.
- E como você conseguiu ficar só no carnaval?
-Ah, meu bem foi visitar a mãe no interior de e eu falei que ia aproveitar pra ver minha avó...
-Ah, To com pena de você só na estrada. É tão perigoso nessa época. E estou ficando com vontade de fazer algo diferente, afinal tem carnaval todos os anos. E tem mais pode ser interessante dar uma descansada
Vamos, então? Vai ser bom pra você, até porque eu estou fugindo de confusão!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.