3 de dez de 2014

TRAVESSIA









Eu não te queria assim maremoto.
Tragédia grega, terremoto.
Não desejo que você seja calmaria.
Oração, Ave-Maria
Não espero que seja você o vento que conduz minhas velas,
pois sei para onde quero chegar com o meu navegar.
Nem você será o pincel das minhas telas
- jamais soube desenhar...
Eu desejo que possamos caminhar
por algumas paisagens
Eu desejo imaginar algumas trovas
ainda que antigas viagens.
Eu desejo que elas sejam novas,
Eu quero olhos novos pra viver
com novidade, o que passei sem ver.
Pela pressa da juventude,
pela ansiedade de viver,
pela pressão social.
Pelo que eu não sabia.
Pelo que me fizeram de mau
Onde dei sem saber que ia...
Eu não me arrependo do passado
O que deu ruim, foi por não saber
Sempre fui um ser revoltado
Com tudo o que não foi e poderia não ser.
Eu curto o seu amor ainda que me sinta derrotada
Ainda que saiba das vitórias
Mesmo portando minhas histórias
de idas e vindas procurando saber
Querendo muito mais ser do que ter
Embora eu saiba que o mundo não reserva lugar
para quem não pode pagar.
Mesmo acreditando que jamais pagarei
pelo que posso conquistar.
Não quero fazer de você, musa inspiração.
Nem mesmo a letra do samba-canção
que antes com inspiração, jamais fiz.
Eu quero de verdade tentar de um jeito meu, ser feliz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.