19 de out de 2013

Eu ainda anoto telefones em papelzinho sem referência e passo uma vida tentando descobrir de quem são...
Às vezes escrevo com uma letra que passo mais uma vida tentando entender o que escrevi.
Tenho uma amiga que se chama Fátima, mas eu sempre achei que ela tem cara de Dalva, daí várias vezes depois de meses, no calor da conversa chamo a Fatima Almeida de Dalva...

Eu queria tanto ser normal, mas por essas e outras, não consigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.