22 de fev de 2015

COM A LENTE QUE OLHAS, SERÁS VISTO | PAULO BARROS

Paulo Barros avisando que vai desativar o perfil do Facebook. Não sabe se definitivamente,  no momento, não quer dar o direito de ser desrespeitado por quem não o conhece. Um direito que ele tem.
Uma das poucas postagens, talvez a única que li, incentivava a torcida da escola a não se importar com o que estavam dizendo. Achei bacana isso.
A seguir dizia algo mais ou menos como premiações que eram vendidas em troca de um prato se salgadinhos. Não achei nada bacana.
Se uma premiação é assim tão... barata, porque concorrer?

Cheguei a postar um print dessa postagem, mas excluí. Não queria criar polêmica com amigos e não amigos torcedores da escola e fãs do trabalho dele ertadores do mesmo  de repente portadores do mesmo fanatismo que atribuem à Portela. Mas achei feia essa colocação e achei bonito exercer o meu direito de ficar calada, exatamente por não conhecer Paulo Barros, não saber qual prêmio se compra com salgadinhos e por não ter nada a ver com isso.
À vezes a gente está P da vida e escreve o que não deve. É uma rede social, equivale a não nos comportarmos bem em ambientes públicos.
Esse "poder" que as redes sociais dão a qualquer um é complicado. Tem gente que carece de etiqueta, bons modos mesmo na vida real, quem dirá à distância protegida pelo anonimato e tem gente que é covarde mesmo.
Mas não vejo como ato grave quem se expõe nas redes, vejo com severidade quem expõe o outro. Nem tudo o que sabemos devemos dizer sem avaliar o momento e nem toda opinião deve ser disparada a título de "liberdade de expressão".
Hoje, pessoas públicas estão expostas a todos os tipos de opinões que muitas vezes são agressões, produtos de recalque, inveja ou ignorância e, a justificativa é que temos "liberdade de expressão" para falar o que pensamos sobre as pessoas públicas.

Mentira! Pessoas públicas não são sacos de pancada e merecem como todos uma postura gentil, no mínimo educada e liberdade de expressão não é isso, uma desculpa para ofender e destilar venenos.
Sua amiga experimenta um modelito novo toda feliz e te pergunta:
- Ficou legal?
A gente acha que está horrível e busca um eufemismo para dizer isso.
Se não nos importamos com a forma de dizer as coisas para alguém é porque não nos importamos com esse alguém e o respeito até a nisso deve ser mantido. O ideal seria participar da página de alguém como admirador, seguidor, não faz sentido  participar de um grupo de  admiradores de alguém se não o admiramos. No entanto, se admiramos, não teria porque escarnecer, criticar gratuitamente em público. Quem admira não expõe.
Eu acho que comissão de frente vestida de inseto, tocando fogo na porta-bandeira é de um mau gosto sem tamanho, nada tem a ver com samba e é uma simbologia de falta de amor a ele (samba), nem por isso penso ter o direito de ir na página do carnavalesco expor essa opinião que ele não pediu, nem quer saber. 
Não tenho o direito de me aproveitar dos fãs que ele arregimentou e dos amigos que ele tem na rede pra aparecer perante um público maior. Ninguém tem esse direito.

Entrar na time line de alguém  para falhar "verdades" ou dar opiniões  equivale a invadir a casa de alguém para dar ordens de acordo com os nossos conceitos e mudar a gestão de da casa que não é nossa e nem sustentamos.
Hoje quase todos usam as redes sociais para tornarem-se de alguma forma, pessoas públicas e muitas são incapazes de discordar pessoalmente, tornam-se verdadeiros carrascos on line.
Então, que eu não sei qual o prêmio que se pode obter a troco de salgadinhos, mas certamente, nenhum que valha apenas isso, será tão disputado e achei isso uma falta de respeito com o prêmio e concorrentes a ele.
Muitas vezes recebemos o que damos, principalmente quando não damos coisas boas e bons exemplos...
Desativar o prefil, é uma boa forma de refrescar a mente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.