9 de jan de 2012

Entre uma Hipocrisia e Outra, Escolhi a Sanidade



Eu sempre critiquei a postura consumista da nossa sociedade que transformou o natal em festa de cartões de plástico, shopping, Papai Noel muito vestido e neve artificial. 
Eu sempre achei bonitas as luzes que enfeitam a cidade no natal e nunca entendi porque elas não iluminam nossos caminhos o ano inteiro.
Hoje, um pouquinho mais velha, aprendo a valorizar isso, com o tempo fui treinando o meu lado inconformado  a participar disso até onde eu não me perdesse da minha consciência, afinal como dizia o poeta "disciplina é liberdade"!

 Há 2 meses recebi um e-mail que falava  sobre o filme 'Corpus Christis' (O Corpo de Cristo) exortando as pessoas a aderirem a um movimento para que o filme não se apresentasse no Brasil, por ser uma  paródia repugnante de Jesus, informando que a versão teatral já acontecera e que   “uma ação concentrada da nossa parte poderia mudar as coisas” que assim “poderíamos evitar a projeção deste filme no Brasil e até em outros países”. gostei muito dessa parte: 
 “uma ação concentrada da nossa parte poderia mudar as coisas 
Segundo o e-mail, neste filme, Cristo e apareceria mantendo relações homossexuais. Vocês lembram do tal "kit gay"? Aquele que consistia em vídeos e cartilhas para educar as crianças...
Pois é, tendo em vista que na época do “kit gay” , para efeito de abaixo-assinado, veicularam comentário de vários trechos que os vídeos não tinham, dei atenção ao texto deste e-mail, que  logo  a seguir, ensinava às pessoas como encaminhar a mensagem, e enviá-la para um  determinado endereço eletrônico quando chegasse a 750 nomes.

Pois bem, vivemos num tempo onde verdadeiros talentos dos mais diversos segmentos da arte por mais que batalhem e tenham obras maravilhosas, não conseguem espaço nem remuneração para tomar um cafezinho... Quem se importa?

Vemos a corrupção, o crime, as drogas, doenças, moralismo, erros judiciários, guerras latifundiárias liquidar com os nossos dias de bons cidadãos. Quem se importa?

Vivemos momentos em que muitos vivem diante de suas telas a espionar a vida alheia como se fosse uma janela por onde deixamos fugir nossas vidas e problemas... Quem se importa?

Poucos se importam o natal se tornou mascarado e desvirtuado pelo consumo desenfreado, poucos se importam com a falta de demonstração de carinho e afeto aos filhos desde que eles tenham um bom presente de natal...  Mas pelo que percebi muitos se importam com a reputação de Deus. Como se isso mudasse alguma coisa, para ele ou nós...

Uma obra de arte é a ótica de um artista sobre determinado ponto. Um Cristo gay não mudaria a minha vida, nem a Sua história mas seria “repugnante” apenas na ótica de quem vê a homossexualidade como repugnante. Mudaria talvez a vida (ou a morte) do artista que teria com o filme comprado sua passagem para o Inferno e, de primeira classe!

 As pessoas recebem informações e repassam sem reflexão alguma e quem orquestra essas informações sabe disso, sabe até que uma parcela significativa do seu público alvo, não é lá tão bom  ou íntimo assim da internet, ainda que muitos passem horas ou dias diante do seu monitor, digo isso porque recentemente amigos solicitavam-me no Facebook, que eu configurasse a MINHA página para que ELES  não recebessem notícias MINHAS... Então que diabos eles estão fazendo na rede linkados a mim?!  Ninguém percebeu que isso equivaleria a eu encontrá-los numa festa e dizer:
- "não fale comigo, Você não quer saber de mim”

A idéia do mal se espalha como se fosse um bem. Reger um movimento para privar as pessoas da escolha que só a elas cabe, é o verdadeiro pecado, é uma ditadura e todos as ditaduras são mal vistas e caracterizam pela privação da liberdade do povo e bem estar dos líderes e este mal vista não significa sua erradicação, no máximo uma passagem de cetro...

Ok, agora você podem me perguntar o que o filme com cristo homossexual e ditaduras têm a ver com o Natal?
Porque uma assunto tão inoportuno, indigesto numa época que afinal todos estão tão espiritualizados ou dispostos a, já que 24 horas de amor ao próximo pode não parecer tão ruim assim...

Respondo:

Esse e-mail, ensinou-me a preferir o comércio natalino do que vivenciar aspectos religiosos onde sejamos bons apenas na aparência como os sepulcros caiados que segundo os que professam a Bíblia Cristo combatia...

Onde rezamos com os lábios uma oração que diz “seja a feita a VOSSA vontade” enquanto o nosso iletrado coração corre o risco de confundir na sua torta grafia o V pelo N...

Diante disso tudo, melhor curtir o natal como festa consumista do que celebração daqueles  que se aproveitam da distração, da ignorância para fazer crescer sua lista de proibições. Foi assim que eu consegui entender, porque mesmo no calor tropical, nunca permitiram ao Papai Noel trajar uma bermuda com camiseta... Ahn e porque mesmo debaixo do nosso sol escaldante de país tropical, Papai Noel nunca pegou uma cor...

Feliz Natal e se você se ver obrigado a abraçar aquele parente indigesto não pense que se trata de hipocrisia, mas como a esperança de que um dia tudo melhore, afinal  você está mais atendo, esperto!
ho-ho-ho-ho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.