18 de set de 2015

COISA DA ANTIGA

No meu tempo de criança  meus pais se matavam ou morriam ou talvez apenas se sacrificavam pra colocar comida na mesa para gente comer. Hoje, os filhos não podem ficar sem tablets, smarts e outros produtos da hora. 
Na minha infância eu não podia também ficar sem a calça do Cantão 4, o tênis da Redley, patins, skates e outras coisas, mas ficava... Meus pais sabiam ou aprenderam o que era prioridade, pior: sabiam dizer "não" ou  "agora, não" ou "só se você merecer" ou "você não está merecendo" ou simplesmente: "olha o orçamento está apertado, topa ficar sem carne 1 mês?"
Eu era literalmente obrigada a ir para escola ainda que minha mãe, já desiludida e cansada dissesse para mim:  "o que você estuda é pra você". Eu tinha que trazer boas notas, eu tinha que ser vista fazendo a lição de casa e não havia justificativa para que o meu "responsável" fosse chamado à escola por conta de algum mau comportamento meu. A professora tinha sempre razão, no mínimo porque era mais velha, depois porque ela estava trabalhando e por fim, não tinha lógica perder um dia de trabalho pra ouvir reclamação por minha causa, alguém que não fazia nada a não ser estudar, tinha que no mínimo estudar e se comportar direito com os outros. Mais ou menos assim.

Quando o orçamento estava folgado, eu ganhava presentes, mas se merecesse e esse merecimento era simplesmente, ter feito a minha parte.
Se eu tomasse umas porradas injustas, não era presente caro que aplacava a consciência da minha mãe, que pouco chegada a carinhos e mimimi, conversava comigo procurando me agradar, era a forma que ela tinha de me pedir desculpas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.