12 de mai de 2016

NO FUNDO NINGUEM GOSTA DO BRASIL



Não é a questão de ganhar ou perder. Não e a questão de ser deste o daquele partido. É o caso de assistir um espetáculo grotesco, uma pantomima interpretada por vários bandidos. Cada um com seu crime, cada crime que nos empobreceu. 
A corrupção que subtrai remédios dos hospitais, que derruba pontes, viadutos, passarelas e mata pessoas. A corrupção que gera legados mentirosos que consomem grana pra reforma e abre crateras na obra recente engolindo carros, pessoas. A corrupção das enchentes e tragédias que deixam desabrigados ad eternum, a corrupção que deixa valas abertas, ruas sem saneamento, mosquitos, doenças, fome, miséria.
Que esvazia os cofres públicos e rouba merenda e subtrai o ensino das escolas e não paga os professores e arruina as escolas e acaba com o ensino.
Não entra na minha cabeça que tudo o que aprendi sobre ser honesta, ser direita, ser honrada, trabalhar, ser leal e agir de acordo com o que se acredita esteja tão errado.
É surreal demais, que uma pessoa por pior administradora que tenha sido, tenha que ceder lugar para ladrões comprovados.
Sim, eu tenho a minha história de decepção com o PT, mas não se justifica que seus erros tenham que dar espaço para os de outros tão errados quanto. Sim eu sei que tudo isso que a lava jato desencadeou é a injustiça travestida de uma suposta justiçagem e com critério de 2 pesos e duas medidas.
Eu cresci ouvindo que o pior que um ser humano poderia ser é bandido e agora vejo bandidos corruptos feito abutres em cima de quem não tem a té agora nenhuma mácula de corrupção. 
É só isso que não me sai da cabeça.
Fico pensando na minha família de falecidos, todos getulistas por um motivo muito simples de gente simples não politizada que me diziam: "O que fez a abolição dos escravos, não foi Princesa Isabel, e sua pena de ouro assinando a Lei Áurea, foi o salário mínimo".
Por enquanto me sinto como Luke Skywalker perdendo, apanhando muito do Império Intergaláctico. Não temos congresso, temos um sindicato de mafiosos corruptos ladrões, perdoem-me a redundância. Não existe a preocupação dos políticos para com a população, buscam um emprego, bons salários, grandes benefícios, mordomias. A mítica do ambiente, a emanação do poder, a respeitabilidade inerente ao cargo agregada à midia dos dias de hoje certamente são ingredientes que os contaminam como um vírus para o qual jamais irão querer curar-se. Estendo sua importância vão empregando parentes, amigos, pessoas dos seus interesses e. logicamente pavimentarão caminho para integrar na agora carreira, os filhos.

Para as pessoas mais observadoras com alguma sensibilidade, foi traumático
 assistir o mecanismo da delação premiada, onde um bandido ou no mínimo alguém de caráter duvidoso, uma vez em desacordo com seus pares, entrega-os à polícia, que os entrega à opinião pública, baseados em palavras de alguém não confiável, movido pela ânsia de salva a própria pele, temperadas com a mágoa de em dado momento ter sido contrariado, preterido. Essa regência da delação premiada  antes das verificações provas já é um sinal da pouca importância que se dá a combater o crime em si. O fato que no atual governo interino há 8 componentes, 8 pessoas citadas, comentadas, indiciadas, até agora não investigadas e já protegidas do foro privilegiado que os livra do alcance da Lava Jato e juiz Sergio Moro, que se tivesse interesse legítimo no combate à corrupção e não no linchamento público e destroçamento de um único partido e pessoas a ele relacionadas, não permitiria que isso estivesse acontecendo.

Desculpe-me juiz Sergio Moro, mas quem ama o pais e combate a corrupção o faria sem olhar cores, sotaques e pessoas. Palavra de uma pessoa comum, que entende tão pouco de política mas se vê invadida por todos os conteúdos da produção da política nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.