13 de out de 2009

Partindo


Bem, eu estou indo.
Na verdade devo demorar-me mais um pouco...
É difícil retirar tudo e ir para tão longe...
Mas você conseguiu sim, mostrar o quanto eu preciso partir.

Não, claro que não estou tão triste assim... Talvez, digamos, um pouco chateada.

Sei que eu te mostrei dias melhores, mostrei sua força e medi sua paciência, enquanto você destruía a minha.

Mas é melhor deixar você, seu telefone e os seus amigos. Afinal, na sua vida eles são muito mais importantes do que eu.

Sim, eu levo os sóis e luas que você me deu...
Alguns filmes que eram difíceis de discutir, a impressão de que vamos ao cinema só pra nos divertir...
Ahn, posso levar aqueles que você nunca viu?
Que alugamos e não deu tempo de ver por estarmos enroladas em beijos e abraços.

Lembra que houve um dia em que nos priorizávamos ?
Nós nos mávamos. Não menos que hoje, mas nos conhecíamos pouco. Depois que passamos a nos conhecer mais, coisa incrível, nos deduzimos em demasia e passamos a agir pelo que pensávamos uma da outra...
Mas isso não vem ao caso agora. Porque parece que te atrapalho...

Sim, ainda me demoro um pouco, não é hora de ir de todo, apenas parece que abriu-se o momento em que a cabeça começa a bater em retirada, ela não comporta tantos CDs acumulados e tantas roupas no armário...
Eu sou chata e pesada e talvez leve a sério demais coisas tantas. Por isso não valorizo coisas de suma importância como o meu excesso de papéis e essa minha mania de não guardar o que estou usando. Pode te parecer estranho, mas não consigo guardar em lugar difícil, os meus óculos para perto. Nem o relógio, nem o livro que estou lendo.Eu não quero brigar por aquilo que deixei fora de lugar, nem pela sua insistência em mencionar o que já foi guardado do jeito que você queria. Não não convém logo agora, brigar pelo o que eu fiz mesmo sem querer fazer. Não fiz para te agradar, fiz para melhor conviver. Vive melhor quem convive melhor. Vive mehor quem convive com o melhor. Também não quero ver você sorrindo pros amigos enquanto rosna pra mim...

Sinto muito o meu excesso de arquivos no seu PC, sinto muito ter trazido trabalho pra casa. Sinto muito ser essa pessoa perfeccionista, espartana que precisa de tão pouco pra viver. Sinto demais não ter rotina, não ter discilplina, ser tão desregrada e pensar que um trabalho bem feito é minha marca registrada...

Lamento não ter compartilhado contigo o mesmo afeto que tem por alguns amigos. A princípio até achei que isso era bom porque te protegia e alertava...
Desculpa talvez eu não tivesse o direito de mudar o seu mundo, alterar as suas arrumações na sua casa que é um espelho de você... E por mais que eu more nela, ela jamais será minha como é seu tudo o que tenho, mas vou te contar só um segredo: Eu jamais quis uma casa, mas eu sempre quis ter você e isso mudou a minha vida, a minha ótica e a minha ética permanece, pois que é ela que te prende a mim...

Ontem na festa, eu te achei tão bonita, com um sorriso tão aceso que me atrevi a pensar que nós estaríamos bem. Petulância a minha, achar que o melhor de você é pra mim.
Não, você continuará linda como sempre foi e mesmo que fique triste, ninguém nunca vai saber se fui importante ou se apenas somente mais uma das suas experiências.
Eu não me importo, se são as experiências tudo o que de verdade acumulamos durante a vida, é isso que quero do viver: ser experiência, ser experiente, experimentar cada coisa com a mesma expectativa de quem prova o primeiro drink...

Você vai por tudo o que fui na sua estante, o meu carinho vai rechear uma ou outra pelúcia que tenha ficado a testemunhar. Ninguém no seu reino pode ser um enfeite fora do lugar...
210408

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.