15 de mai de 2014

A MENINA QUE SONHAVA


Chega um dia que a gente sente que precisa fazer uma reforma interior. A gente olha ao redor e se sente diferente, inadaptado, inadequado, esquisito, destoante. A princípio tem a sensação de ser único, de estar certo e as braçadas contra a correnteza motivam e dão orgulho. Mas chega aquele dia e, ele chegará, pode ter certeza, mais cedo ou mais tarde, dependendo do fôlego de cada um e da nossa afinidade com o cindir, o prazer em ser "do contra" e a vontade de sentir-se um desbravador... 

Não necessariamente nos sentimos errados, mas diante de projetos fracassados, decepções consumadas, percebemos que algo está errado e talvez não seja de todo a multidão que caminha ora enlouquecida, ora adormecida na mesma direção.

Um dia a gente percebe que tem casca grossa, mas não necessariamente pra receber pancadas. 
Tem força, mas não exclusivamente pra carregar o peso do mundo. 
Tem inteligência, mas não pra resolver os problemas da humanidade. 
Tem raciocínio, mas não é pra fazer contas alheias. 
Finalmente entenderemos ter individualidade não é ser egoísta e ser generoso não é sinônimo de para ser bobo.

Precisamos permitir o erro alheio, precisamos não nos culpar pelos erros nossos. Precisamos desculpar o outro e perdoar a nós mesmos.
Precisamos dar razão aqueles que olham pra si sem cairmos no exagero dos que só enxergam a si mesmos.

Precisamos nos dar valor e valorizar nosso trabalho, achar felicidade nessa forma tortuosa que inventaram de explorar nossas competências através da venda para nós mesmos dos produtos gerados por nossas mãos, regados com o nosso suor, fortalecidos com a nossa esperança.

Temos que aprender com os malandros, entender os espertos, entender. É preciso saber de onde o mal vem para saber como se desviar dele ou para onde arremessá-lo. Descobrir o limite entre calar-se e e omitir-se. Perceber com que se discute e onde a discussão poderá nos levar.

A humanidade não está de todo errada e muitos não erram por falta de oportunidade.
Não existe a
quele de todo certo, mas se todos tem um preço, o câmbio é variado, para muitos não é não são finanças que fecham "esse negócio".

Os anjos deveriam trazer em si algumas poucas gotas de veneno, assim poderiam viver entre nós. Nesse mundo a pureza parece tão artificial, quanto desnecessária, lutar exclusivamente por ela é perder um tempo precioso com o impossível, até porque, ela é fácil de ser exigida por aqueles que não a entregam. Peso e medida, basta termos um e aplicar às nossas próprias ações.

Planejo zelar um pouco pelo meu sossego, vendo o circo pegar fogo e orando pela alma do palhaço, porque lugar de palhaço é no circo, porque lá ele escolheu ficar, porque todos vão se incendiar um dia, acima de tudo porque reza a lei da vida que temos que nos preservar; mas jamais será porque sua piada foi ruim e não me fez rir, nunca porque ele sorriu enquanto eu chorei.

Cada um com seu destino. A vida não é feita de escolhas, ela é construída por atos, constituída por fatos. Ela só tem 2 momentos: o nascer e o morrer e eles se repetem infindavelmente a cada momento com maior ou menor intensidade nas suas figurações de choros ou sorrisos.

A vida não é feita de escolhas, somente de dias exaustivamente, enfadonhamente em sequencia uns após os outros, divididos entre acordar e dormir. Permanecer despertos ou adormecidos.
A vida não é feita de escolhas, somente de dias uns após os outros divididos entre acordar e dormir... Olhos abertos ou sonhos despertos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.