7 de ago de 2009

Eu e a Celebridade


É estranho você estar ao lado de uma pessoa famosa e perceber que ela é uma pessoa...
Não se pode impedir o desbunde!
É impressionante.
A gente mora no Rio de Janeiro e conforme os locais que frequentamos, é certo esbarrar com um global ou similar pelo menos uma vez por semana. Ainda assim não se consegue com facilidade perder a a sensação de que estamos ao lado de uma celebridade. A "importância" da pessoa parece ser um gás que atinge em pequena escala os mortais que estão por perto. Note-se o orgulho que ouvimos os comentários: ontem vi fulano! Nossa ele é igualzinho na TV! Ou nossa ele é tão magrinho...
É assim.
No dia 05 eu estava ao lado de um ator famoso, talentoso, bonito, solidário, disponível, inteligente, bem-humorado e vi pessoas me olhando com cara de interrogação, com cara de "tá-fazendo-o-que-aí-ô-baranga?" Diante disso não tem como não fazer uma cara de "superior-fodam-se-humanos" né?

---Pausa pro fogão. Continuo mais tarde---
Então venho percebendo que embora eu escreva, tenha ganho alguns insignificantes mas fundamentais prêmios pelas escolas e faculdades por onde andei, só ganhei alguma importância depois de me virem ao lado de pessoas famosas... E olha que houve uma época que eu cantava... A gente só é importante quando é importante ou fica importante e ficar de papagaio de pirata às vezes acaba emprestando alguma importância...

Por isso que é tão difícil falar com certas pessoas. Quanto mais importantes são consideradas as celebridades, mais célebres e importantes se sentem os do staff à sua volta... Faz-me lembrar daqueles filmes que mostram as cortes européias antigas... Veja Antoniette. São cômicas as cenas que não se tornam trágicas.

---pausa pra dormir----
Sinceramente que queria acabar este post logo, mas demorei tanto a retornar a ele que não me lembro ao certo o que queria dizer...

U

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.