26 de jul de 2012

XUXA - O OUTRO LADO DA NAVE



Uma leitora dessa revista fez de mim a pessoa mais feliz do planeta ao me classificar como ponderada. Também referiu-se a mim como atenta , subjetiva e sensível. 
Obrigada Regina Sartore! Ser considerada ponderada , é atingir o objetivo dessa coluna que se propõe a recolher alguns fragmentos da nossa vida insana e expor aqui. Manter um nível aceitável de sanidade é um grande desafio nos dias de hoje, quando a profecia de Andy Warhol se realiza. Hoje se tem espaço para disseminar todo tipo de idéia e pensamentos, lamentavelmente ainda não se acordou para a obrigação da responsabilidade com o que se dissemina. Aquele botãozinho comentário ao final de cada notícia publicada na internet é um gatilho irresponsável e fácil de apertar
Em maio a entrevista de Xuxa no quadro “O que Vivi da Vida” explodiu as mídias sociais com as manifestações do público e sacudiu o preconceito introjetado de muita gente boa em opiniões que fariam a festa de advogados se acionados, tal a ânsia dos anônimos e pseudônimos (nicks) de pegar uma carona no holofote que iluminou a eterna Rainha dos Baixinhos por meia hora no Fantástico. Independentemente de ser fã da apresentadora, ponderar sobre as suas declarações seria um exercício que nos levaria a assuntos altamente “in” como liberdade de expressão, direito e respeito. Causou-me estranheza (ou seria desconforto?) o gosto pessoal de alguns se sobrepor a uma interpretação mais inteligente. 

As emissoras de TV existem por conta dos nossos impulsos consumistas e os aparelhos não ligam automaticamente, cabendo a nós a escolha do que assistimos. Dizer que a entrevista foi apenas uma estratégia na busca por audiência é chover no molhado. Criticar o conteúdo da entrevista sem pensar é péssimo e mais ainda, para aqueles que postaram comentários afirmando que não assistiram. Acusar a entrevistada de pedofilia mencionando o filme Amor Estranho Amor pareceu-me ignorância maldosa e deslocada. O longa foi filmado em 1979, Xuxa nasceu em 1963, logo, na época do filme ela tinha 16 anos, idade que até hoje não torna o adolescente capaz de responder criminalmente por seus atos, devolvo então a pergunta feita em profusão nos sites: “porque só agora falar disso”? E se o filme é tão pesado e indecente, quem seria o verdadeiro responsável? Quem é o culpado pela obesidade da criança que você alimenta?

Talvez possa parecer para muitos que um abuso sexual cometido contra uma mulher que se tornou rica, famosa e etc seja menos abusivo... A conclusão que tirei disso é que o mundo é cruel com os vencedores e talvez seja indiferente com os derrotados. É inegável a manifestação da cultura de criminalizar as vítimas de determinados crimes principalmente se praticados contra mulheres e gays, estão aí a Marcha das Vadias  e o descaso com os crimes de homofobia “que não me deixa mentir sozinha”. Algumas pessoas julgaram a Xuxa tomando por base a sua beleza e a idade que tinha, 16 anos, quando sofreu abusos – que foram freqüentes ao longo de alguns anos - esquecendo-se que uma vítima de abuso sexual na infância caso se recupere, leva anos para isso. Não se pode analisar que a faixa etária contribua para que a vítima se torne merecedora ou conivente com essa violência, isso seria aceitar que um estupro de uma mulher adulta seja menos traumatizante e violento apenas por ela não ser jovem, o que abriria o perigoso precedente do merecimento, da mesma forma como vítimas dos crimes de grande parte da população acredita que os crimes homofóbicos ocorrem sempre por culpa de homofobia tornam-se são criminalizadas a ponto de não registrarem queixa.
Xuxa disse que viveu o que muita gente não pode viver, mas tenho certeza que nós simples mortais sem fama vivemos muito do que ela não pode e isso não faz dela coitada nem de nós carrascos. Também não entendi o espanto com a proposta de casamento feita pela assessoria de Michael Jackson... Alguém soube de algum envolvimento afetivo dele com Liza Marie Presley antes do casamento em 94, 20 dias depois de concedido o divórcio dela, numa cerimônia de 15 minutos, na República Dominicana? Apresentaram-se como casal no MTV Music Awards e separaram-se no ano seguinte...

Hipocrisia deveria ter bula, principalmente quando aplicada na crítica de fatos julgados como hipócritas.


Emagosto de 1996, a edição comemorativa dos 21 anos da revistaPlayboy trouxe uma entrevista da Xuxa que conta ter sofrido, antesde completar 18 anos, assédio sexual de um general graduado.(clique e veja).                                                                                                           Isso me lembra que a artista talvez não tenha tido durante toda a sua vida autonomia para as suas escolhas, a idade como o sucesso libertam e ambos podem trazer cura para traumas e feridas. Remédio não há para o recalque que leva aos julgamentos sem ponderação. Toda verdade tem vários lados, a nave rosa e piscante também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.