9 de out de 2012

negro 9


Quanto tempo vai ficar vivendo o que disseram pra você que é bom?
Quanto tempo vai se exibir pra turma um você que não existe?                                                                 Quanto tempo ainda alimentando a vaidade de quem só repara a sua vida porque não aprendeu a viver direito. Quanto tempo ainda de insatisfação atendendo o que lhe comanda a televisão??


Fora de padrão 
To nem vendo celulite
Sonho corpo menos light 
Se namoro é com apetite

Sem um ser que dite 
Uma mulher sem ser diet

Milenar são nossos hits
(nada a ver com face book) 
Atravessam megabyte 
Temos tudo a ver estamos kits
E pra eles: feios, vadio e biscate 

É a gente que herda 
Um padrão pálido que arde
Acumulamos a pedra 
Que nos taca o covarde 
É rap nosso bit
Em sintonia com as biat
Mesmo que ninguém cite
Nem paparazzo nem novela nem site
Ei pretinha encorpa

Vitalidade não pouca
Na cintura nade de Europa
Um seio que não caiba na boca

Tire a voz do mute 

Grite em toda parte
A cena é Black Booty 

Eu nem ai pras withe 

Só assim o dedo flagra 

Uma mulher não fria
Quero coxa menos magra
E to picas, pra estria

Uma africana me furte

Menos luz mais arte 
O que meu sexo Curte
A faísca e a pólvora no blackout

Não fere o corpo nem por Deus

Nem nas tretas que peleje 
Vou colar com os meus 
Sempre minha Dofona do Gêge 

Teu lábio que visite 

O mais escuro de minha parte 
Sei que é bom põe no repeat
Que o meu eu gozo com o seu eu reparte 

Nossos corpos que se revoltem 

Teus beijos que me assaltem 
Se não duros os seios os soltem 
E o orgasmo se quentes que saltem 

Pra eterna ou qualquer foda

Uma Pique o meu o cabelo 
Minha cara é uma cara de modelo
Uma modelo eternizando outra moda 

Fora de padrão e a milhão o watt

Corpos negros entre curto e circuito
Seio gordo, beijo e mordo pela night
Não é revolta é amor e muito




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.