14 de nov de 2008

VIRTUAL

Encontro na rua um amigo que há tempos não via. Espanto e beijinho. Depois fico surpresa por ele me fazer perguntas diretas demonstrando saber da parte publicável da minha vida e a gente não se via há 1 ano! Agora, sem sair de casa podemos encontrar um amigo, um amor, um afeto, um passa-tempo, uma transa. Viva a modernidade! Ela que também traz até nós “vagabas”, “pistoleiras”, gente “sem-noção”, mentirosos compulsivos ou não. A Internet é uma bênção e também uma maldição! Nela podemos nos encontrar, nos esbarrar, tropeçar, ser feliz até a próxima mensagem/scrap ou nos tornar solitários para sempre. Ficamos bem informados, nem por isso mais próximos.


Quem não tem amigos pessoais que graças a internet tornaram-se virtuais, aperte o shift/delete! Pois se antes vivíamos nos encontrando para por a conversa em dia, hoje o fazemos pelo MSN. O amigo faz aniversário, mandamos um scrap e a missão está cumprida sem abraço, sem bolo, sem parabéns... O presente? Tantos cartões florescentes, piscantes com a musiquinha que sabemos que ele vai gostar e o eu te amo vem escrito lindamente colorido!

-“Viu fulano?”
–“Ta namorando, vi no Orkut”.
Um dia entenderemos que a internet como o telefone, cartas e telegramas e diálogo servem para aproximar e não para dar forma colorida às nossas desculpas. Um dia aprenderemos que a internet é um instrumento para facilitar o acesso e não nos tornar mais distantes. Até lá é mais fácil abordar aquele assunto indigesto por e-mail. Eu fico pensando: o e-mail é para explicar algo rapidamente ou um jeito de despachar aquela pessoa que nos apresenta um projeto que não estamos muito a fim? Não precisamos mais espichar os olhos e fingir que não estamos vendo aquela pessoa assim-assim, basta dizer: “me manda por e-mail”, matar o outro de aflição na expectativa se o e-mail chegou e se será lido e estamos livres!


A internet é um grande barato e o MSN um verdadeiro milagre! Sem eles não daria para conhecer aquela pessoa que mora do outro lado da cidade e nunca vai esbarrar com você na rua. Aquela pessoa que tem tudo a ver contigo mas não circula por onde você anda. Alguns quando se sentem sozinhos vão para uma boate ou um boteco e sabe-se mais aonde, procurando companhia e pode acontecer que, justamente nesse dia, o par perfeito tenha ficado em casa, entediado daquilo que costuma encontrar pela rua, na boate, no boteco.



Talvez seu grande amor esteja cansado e não tenha saído no dia em que você decidiu procurá-lo por aí. Às vezes mentimos para nós mesmos, fingindo que saímos pra dançar, mas se não rola uma paquera a noite não vai ser boa...Às vezes esquecemos que uma saída despretensiosa com um amigo pode trazer surpresas que o monitor nos esconde... Às vezes deixamos de convidar o amigo para uma bela caçada ou um ótimo papo porque ficamos na internet vivendo a vida dos outros ou invertendo a mão da nossa própria vida, iludidos com uma companhia que só acompanha nossa solidão...

Nem todo bom remédio cura, nem toda doença mata... Se nós criamos meios de estarmos próximos dos que amamos, também nos “enrolamos” nas nossas próprias criações.... O que mede o sentimento certamente é a vontade de estar junto e não há mensagem virtual que substitua esta virtude!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.