27 de nov de 2011

Memórias

Meu pai me dizia:"Eu não sou preto, preto é o lápis. Eu sou negro!!
"Mas pai, eu sou negra?
-"Não filha você é mulata. Filho de preto com branco é mulato"
- Mas pai esse nome é muito feio. Eu não quer ser mulata. Eu quero ser preta ou então branca. Eu não quero ser uma coisa com um nome feio assim!!
-"Você pode dizer que é cafusa, sua avó era índia"...
-Cruz credo, pior ainda!!! Cafuzo parece confuso!
- "Filha, então seja gente. Você gosta deste nome"?
-aham. G-E-N-T-E. GEEEEENNNNTIIIIII!!! Gosto, sim!
-"Então entenda: gente você já é. Negro, não é cor, é raça. No nosso país ninguém tem raça, todo mundo só tem  é cor de pele. Ser gente é ser mais do que a aparência mostra. Gente todo mundo é, portanto seja gente, mas BOA GENTE!
- E o lápis?
-"Hã"?- O lápis preto que você falou
- ahhhh tá... O lápis... Ah, filha o lápis só serve pra escrever!
- E o negro?
Meu pai respira... Suspira... Franze a testa, pensa um pouco
- "Negro...  é o orgulho das coisas que podemos mudar e a força pra ter força de mudar. Mas vamos fazer uma coisa, vamos deixar de ter orgulho de ser negro e nos orgulhar de sermos gente, vai ficar melhor assim. Vamos nos orgulhar de ser gente boa, boa gente... Pensando bem o orgulho do branco por ser branco não serviu para nada de bom mesmo, porque seria diferente com a gente que é negro, né??
- Não entendi direito, mas acho que é sim...  Que que é orgulho?
- "Filhinha, olha que lindo, o seu gatinho tá tomando banho... Vai lá brincar com ele, vai"...
- Ebaaaaaaaaaa


(Memórias- 1973)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.