29 de abr de 2012

Março de 2012: Um Mês para Esquecer


imagem "Ética e Justila do blog: http://diogenesbrandao.blogspot.com.br 
Na cama com pneumonia  vi  pela TV  o mês de março mais terrivelmente movimentado da minha vida, incluindo aí, pelas minhas contas,  o exame toxicológico mais rápido da história dos noticiários: Wanderson Pereira de Souza faleceu por atropelamento  no dia 17/03 e na tarde do dia 23 os noticiários informavam sobre a presença de 15,5 dg/L (decigramas por litro) de álcool no seu sangue.  
Não sei se essa quantidade  é  grande ou pequena,  mas  foi o  suficiente  para torná-lo culpado por sua própria morte, já que o motorista do veículo que o atropelou, “estava trafegando dentro da velocidade permitida no local do acidente, e não ingeriu álcool antes de dirigir”. A outra perícia, a do veículo,  deve ser algo bastante complicado de ser feito com  a mesma rapidez, assim, uma vez que “todos  somos iguais perante a lei”, resta-nos a esperança de que a lei seja igual para todos... 
Enquanto os donos do carrão amassado e não periciado, mandam rezar missa, tiram fotos e disparam a piar no Twitter, Wanderson (o morto) e sua família em silêncio quase que absoluto nos mostram que leis não evitam acidentes  e talvez não sejam suficientes  nem mesmo para  apurar responsabilidades se os procedimentos  não favorecerem, por lei à  lenta apuração. 
Romário postou no seu  Facebook  o aviso que Copa de 2014 será o "maior roubo da história do Brasil” e intimou os brasileiros a se manifestarem. Por algum motivo que escapou ao meu entendimento o Baixinho dessa vez se foi  ouvido  não foi  atendido. Marcou mas não pontuou ou o inverso que neste caso dá no mesmo.

O Fantástico infiltrou um repórter como comprador  de um hospital, mostrando  como  são feitas fraudes nas licitações  de saúde pública,  fato que  movimentou   todos  os noticiários e ainda são comentados como uma novidade realmente muito  inédita,  jamais pensada ou imaginada.  As autoridades se coçam e caçam as bruxas prometendo cancelamento dos contratos com as empresas envolvidas, como se elas não pudessem retornar com nova razão social. Os empregados,  não fraudulentos, envolvidos nessas contratações  não foram  mencionados , não sabemos  se terão suspensos  seus salários,  geralmente  com de valor infinitamente inferior aos da propina... Mas quem se importa com o cidadão?

Março foi também o mês dos tombos e quedas. Uma menina despenca do alto de um brinquedo num parque Sampa, Sérgio Reis cai do palco em  BH. Moça despenca do  Parapente.  Polícia indicia 2 pessoas pela queda de atores na pela Xanadu... Com exceção do Sérgio Reis, poderiam ser quedas evitáveis e  eu me pergunto se negligênica é o mesmo que acidente...

 O príncipe Harry vem ao Brasil cheio de simpatia faz visita, jogo de pólo e leilão beneficente e aproveitou pra iludir as meninas que estava procurando uma princesa tropical. Foi-se mais solteiro do que chegou com suas obras de caridade mais reforçadas para a prática do bem inglês...     
                     
O goleiro Bruno admite que a suposta morta está  realmente morta e advogado do outro acusado, o Macarrão, diz que ele é inocente e não vai livrar o atleta da acusação. Atribuir culpa aos culpados deve realmente ser um exercício bastante complexo.                                     

Bombeiros grevistas são presos num presídio de segurança máxima, os líderes da greve saem de lá, expulsos da corporação, sem respeito, sem aumento salarial que necessitam, o que não significa que não estejamos num país democrático afinal,  dia 31 de março houve comemoração dos militares pelo golpe que eles aplicaram no país há 48 anos.  Teve paraquedistas e saltos.  
Bolsonaro  contratou um avião para circular pelas orlas da Barra e da Zona Sul com uma faixa que trazia a mensagem "Parabéns, Brasil, 31 de março 64”. No dia 29 a aparentemente frustrada comemoração  no Centro, foi um revival daquilo que eles mais gostavam de fazer: ver o povo apanhar!

Morreram Chico Anísio, Millor Fernandes, Ademilde Fonseca, Jorge Goulart, César Ades (cientista), Aziz Absaber (geógrafo),  o locutor  das corridas de cavalos, Ernane Pires. Pessoas insubstituíveis de uma época que a justiça podia até não ser muito cega, mas educação era obrigação da família  e dependia muito menos das leis .

No plano pessoal, perdi para a pneumonia a minha festa de aniversário, frustrando dezenas de amigos e principalmente a mim mesma, mas em abril recuperei-me! Ainda bem.
Cruz credo xô pururuca!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.