17 de jul de 2013

A ESQUINA | Mem de Sá com Gomes Freire

E...
Como é que pode se estar de porre numa segunda-feira às duas da manhã, numa Lapa chuvosa e friorenta, que expressam toda a decadência de um falso luxo?
E seres assim, também... Não posso incluir-me fora disso. Estou aqui, meu bem.

Essa esquina desafia as convenções,  são encruzilhadas que nunca estão sós.
Um dia o ser humano separou a sua vida entre o que pode e o que não pode ser visto, o que pode ser descoberto e o que deve ficar escondido,
na intercessão desse sonho que pesadelo virou,
nasceu Gomes Freire com Mém de Sá - Praça João Pessoa.
Do quadrante boêmio, é ele o coração,
os olhos que não se fecham, a ferida aberta, a esquina onde tudo e todos se encontram.
Não se pode ser feliz pra sempre, o conto ainda não acabou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.