4 de abr de 2016

POR QUE O AMOR NÃO É NORMAL?


Quando optamos por aquilo que achamos "normal", temos que saber exatamente o que entendemos por "normal", por exemplo, nos dias de hoje a violência é normal e a honestidade é tão fora do comum que quando alguém devolve algo de muito valor  que por acaso encontra, vira notícia. Os  fatos absurdos quando perdem a raridade, tendem a ser vistos como normalidade, mas o absurdo dos fatos que os destacam da normalidade ainda passam pelo crivo da notoriedade, cor ou posição econômica dos envolvidos. Mas por que o amor não é normal? Fala-se tanto dele e ele ainda não tornou-se comum?
Por que ainda a homossexualidade "mais antiga que andar pra frente",mesmo bastante recorrente e exposta nos dias de hoje ainda é vista por tantos como "anormal"? 
Por que um aspecto pessoal exercido em caráter privado sobressai tanto a ponto de deixarmos de lado as características que realmente deveriam ser importantes nas nossas relações em sociedade?

Por que parece tão normal crianças abandonadas, exploradas, vivendo situação de rua enquanto a adoção por casais homoafetivos que poderão lhes dar um lar, carinho, amor afeto gera polêmica e infindáveis debates?

O adolescente do vídeo que anda bombando na web é fruto de uma reprodução assistida, a primeira feita por duas mulheres no Brasil, motivo pelo qual ainda não era permitido na época constar na sua certidão de nascimento os nomes das duas mães e eu fico me perguntando se essa não permissão não é ilegal. Não seria  fraude omitir a origem de uma pessoa numa certidão de nascimento que é a primeira documentação de um ser humano na qual  deveria constar a realidade da sua história? 

Se a criança é filho de mãe solteira,  o registro não informa a ausência paterna?
Se um casal registra uma criança em seu nome, sem que seja seu filho, omitindo os pais legítimos constitui crime, porque então omitir a realidade da origem do nascimento de uma criança com duas mães? 

A burocracia harmoniza perfeitamente sua pareceria com a hipocrisia e o infortúnio. Talvez uma herança do tempo que as mulheres eram meras mercadorias usofruto masculino

O normal não é um biscoito que precise passar por diversas temperaturas, intolerância - tolerância - aceitação - normalidade,  até que atinja o ponto correto para ser saboreado, o eu considero lamentável, pois mesmo havendo os que não gostam de biscoito, isso não os impediria de levá-los para as crianças.  

Se normal fosse um biscoito a solução seria simples:  quem não gosta não come, mas por que impedir os que gostam de saboreá-lo?
Acontece que normal é as pessoas incutirem na cabeça das outras as suas normalidades que nem sempre são suas, vieram impostas por outras cabeças que aceitaram o conceito sem muito questionamento por motivos diversos e embora seja muito comum as discordâncias, o normal é não aceitá-las, fechando os olhos para o fato que nem toda discordância é um problema.                          
                                                                          

Esse menino que faz a pergunta e  diz que "na minha visão o normal é  um pai e uma mãe" pode não ter preconceito, mas estar imerso num ambiente que lhe transmita pré-conceitos e pela idade certamente jamais observou a vida além da superficialidade ao seu redor. 
Precisamos tomar cuidado com a visão de normalidade que entregamos aos nossos pequenos, algumas dessas visões além de não nos dizerem respeito, não impactar na nossas vidas pode destruir a vida de uns e acabar, por moralismo, de modo inverso às nossas intenções, deformando o caráter daqueles que queremos  formar bem e acabamos contribuindo para a sua má formação  informando mal, desinformando.

Quando uma criança faz perguntas embaraçosas é certo que o embaraço é nosso. Em algum momento da nossa vida alguém nos contou uma mentira fantasiosa como resposta e e quem gosta de ser enganado?                                                                                           Em várias ocasiões pensando em nos proteger, nossos pais nos  omitiram as explicações e com isso nos expuseram aos riscos desnecessários ou ao ridículo.

Por que dois homens se beijam? Pelo mesmo motivo que um homem e uma mulher se beijam: Porque se amam. Predicado e predicativo, beijo e amor deveriam ser mais relevantes do que o sujeitos. Se antes do amor você pensa em desejo, sexo, sacanagem espere um pouquinho antes de responder qualquer coisa ou mandar a criança ir brincar, fazer o dever e coisas assim. Não são essas respostas que definirão a sexualidade do seu filho, mas definirão muito sobre você. A mentira nunca trouxe felicidade mesmo quando para maquiar i preconceito.  Eu percebi que normal não é a mesma que comum quando li que hoje em dia o normal é a cesariana. 



Original resumido (facebook)


Quando optamos por aquilo que achamos "normal", temos que saber exatamente o que entendemos por "normal", por exemplo, nos dias de hoje a violência é normal e a honestidade é tão fora do comum que quando alguém devolve o que encontra vai direto para os telejornais. Por que o amor não é normal?


Esse menino que diz que na sua visão o normal é... Precisamos tomar cuidado com a visão de normalidade que entregamos aos nossos pequenos, algumas além de não nos dizer respeito, não impactar na nossas vidas pode destruir a vida de uns e acabar, por moralismo, com o caráter daqueles que queremos apenas formar bem e acabamos  informando mal, desinformando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.