25 de nov de 2016

É o membro da comunidade que sustenta a escola na avenida


Escola de samba tem alma e sua alma é composta de passado e presente para que tenha futuro. 
Gerir uma escola de samba para que tenha bom desempenho como escola de carnaval no molde empresarial é compreensível e é o que precisa ser feito se ela tem como meta campeonato na Sapucaí.

Mesmo os românticos incorrigíveis, quando o papo é samba sabe a importância do dinheiro, mais: a gente até sabe o custo das coisas mas é importante não deixar que a falta de grana, mudanças no fluxo e esquema, vaidades pessoais e llusões de poder (não precisa ser o rei pra receber a picada do inseto da vaidade) azedem as relações primordiais que são intrínsecas aos objetivos quando o assunto é comunidade, ser humano. A comunidade paga o que pode e às vezes o que não pode para se dar à sua escola. Comparece aos eventos, chama os amigos reparte camarote, usa camisa, boné e o diabo, briga se alguém fala mal. 

Os responsáveis por cada setor da escola, ainda que não sejam gestores, administradores, líderes formados, escolarizados nas áreas administrativa ou humana, precisam ser orientados no sentido de valorizar o componente e os baluartes da agremiação que são o ar ( ou vias respiratórias ) dessas escolas porque oxigênio mesmo, hoje, é o patrocinador.
Por mais modernos, modernosos, antenados e poderosos que os articuladores/responsáveis pelo processo de formação do desfile sejam, por mais que se sintam o pica-das-galáxias-carnavalescas, se não tem conhecimento das tradições ou não se interessam em formar um clima harmonioso no que se convencionou chamar comunidade, eles precisam ter boas maneiras, educação, mesmo. Onde falta técnica, perícia há de se ter jeito, sensibilidade, sobretudo respeito.

É o membro da comunidade que sustenta a escola na avenida. É ele quem se sacrifica para comparecer aos ensaios e, ainda que falte a um ou outro ensaio, estará lá dando o sangue cantando como poucos das alas comerciais ou convidados célebres o fazem.É grotesco ver gente em "condição de chefia" ironizando, debochando do componente e destratando baluartes. Educação todo mundo tem que ter para com todos, roupa suja se lava em casa, tem que saber arrumar um cantinho pra colar os paetês que insistem em cair e o melhor lugar não é no meio do povo!
Saber contar até 3 é imprescindível. Saber a diferença entre favor, obrigação e o que é certo e justo não pode ser esquecido jamais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.