22 de fev de 2017

Alguns jamais entenderão


Alguns jamais entenderão.
Peguei hoje a fantasia com a qual desfilarei na Portela. E aí acontece que todas as dificuldades, sufocos, complicações, transtornos se desvaneceram. Tudo valeu a pena, é a sensação que se tem quando algo que se faz parte começa a se concretizar. Tá bem bonita e isso é um quê a mais.

Aqueles que não valorizam isso (carnaval, cultura, samba, alegria do povo) talvez possam compreender um tanto, se no lugar da fantasia para um desfile numa agremiação muito amada, admirada, colocar-se o período de férias, a viagem tão desejada, algo que faça bem.Tem gente que pra ser feliz precisa de um diamante, uma viagem ao exterior, um casamento outros precisam de bem menos. Uma questão de possibilidades alcançáveis.
Algumas pessoas podem fazer planos para passeios, viagens, shoppings, outras não. 
Algumas pessoas são convidadas para desfilar em escolas, outras não. 
Criticar o desfilante é uma maldade sem tamanho, um julgamento de valor sem conhecimento e sem empatia daquilo que todo ser humano precisa ter: diversão.

Não há de se pensar que as pessoas mais humildes acostumadas aos sacrifícios, pequenos espaços e tudo mais derivado da ausência de dinheiro não tenha direito ao lazer ou, que seja idiota ou alienada porque gostam de desfilar no carnaval. 
Quem é alienado e/ou idiota é por outros motivos não por esse seu gosto e necessidade. Muita gente boa que malha o carnaval é alienada e idiota... :/

Como componente da comunidade eu só desfilo na Portela e no Império Serrano (e isso começou como terapia), por não ser uma coisa fácil, são minhas escolas de coração, só elas merecem o sacrifício de 2 ensaios duas vezes por semana com tudo o que isso envolve, inclusive o nó que se precisa desfazer nas agendas, a disposição que precisa se tirar sabe-se lá de onde naqueles dias que a gente "não tá podendo". Em outras desfilaria com a tranquilidade de uma ala comercial, ou de um convite, ou de uma fantasia ganha. Mas... Quem sou eu na fila do pão doce?
Ano passado foi tudo muito leve e divertido, esse ano, a ala de outros carnavais desfeita e, estando numa ala de marcação, foi bem menos divertido... Ensaios longe, em dias diferenciados, sem bateria, sem a galera dos anos anteriores e amigos de sempre. Mas aí, que como eu moro sozinha e trabalho em casa, o meu lar não é um ambiente necessariamente de descanso, como da maioria das pessoas que chegando do trabalho deixam os problemas do lado de fora e relaxam. Trabalho duro, mais de 14 horas por dia, seja executando tarefas, seja procurando tarefas remuneradas, logo, quando tenho uma ocupação esquento a cabeça desenvolvendo-a, quando não tenho, esquento a cabeça procurando por ela (a ocupação remunerada). Sair duas vezes por semana para algo que possa me divertir - ainda que inclua responsabilidade - que me permite conhecer novas pessoas é um refrigério, sim. Não gosto de shopping, ir ao ensaio me custa menos do que ir ao cinema, por exemplo.
Eu vejo algumas pessoas julgando as outras numa caretice medonha. Gente que tem outros programas no feriado carnavalesco acha que pode desqualificar a diversão dos foliões... "Mandam mal".

Até surgiu no facebook, a campanha contra o álcool no carnaval. Sim, eu sei que muita gente só colou porque não bebe e achou diferenciado. ok, ok. Vamos pensar: Será mesmo que o cara que bebe no natal, no ano novo, no domingo, na sexta ou todo dia não vai beber no carnaval?

E a pessoa que não bebe o ano todo, colando no mural vai arrumar o quê? 
Um "se dirigir não beba" tá mais do que bom, no mais, cada um com o seu cada qual sem inventar campanhas para constranger o biricutico social alheio, porque a cerveja não está barata mas custa bem menos que o "escote" e vinhos. 
E aquela água mineral das geleiras de onde ninguém nunca pisou? Como que conseguem essa tal água, não faço idéia, mas pense que pode ter xixi de urso polar nela...  :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.