28 de out de 2009

O que é traição? O que fazer? Confessar ou se calar?


Abel é louco por Norminha que apesar de viver pulando a cerca demonstra todo amor do mundo por ele. Abel é feliz com casa, muita comida, roupa lavada e muito carinho. Ele negou o quanto pode a possibilidade de descobrir a verdade sobre Norminha, ele era feliz assim! Viveriam felizes para sempre não fosse a interferência de um delator, que certamente não teria delatado se tivesse saído com Norminha também...
A curiosidade sobre a sexualidade alheia instiga e atrai. Historicamente traidores são delatores, mas quem trai seu par sabe guardar segredos... A quem escolheríamos como amigos, aquele que trai seu par pulando a cerca ou aquele que trai por delação?

Seguindo o Caminho das Índias. Maya jamais traiu Raj. Depois de casada preteriu Bahuan. Não ter confessado seu segredo, seria uma traição?

Tem gente que respeita o outro e não trai.Tem gente que, como Norminha, trai e pelo que julga ser respeito, esconde. Por que afinal, existe tamanho interesse num assunto íntimo que diz respeito apenas às pessoas envolvidas? Se por um lado, em “briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”, porque alguns acham que devem se envolver numa questão tão delicada como a traição? Teria Norminha uma exótica maneira de amar? Seria egoísta? Ou seria apenas conhecedora da limitação de Abel, dando a ele aquilo que ele precisa para ser feliz e fazendo às escondidas aquilo que a ela propicia felicidade? Vamos combinar que perdão não é o forte da raça humana. Perdão é algo muito mais fácil de ser dado do que ser mantido.

Mas o que é a traição? Pergunta melhor ainda: Onde começa a traição? Norminha apesar das esbórnias era 100% disponível para Abel, dava a ele a ilusão de ser o melhor homem do mundo e de ter a melhor esposa do mundo. Vocês vão me dizer que ilusão não é um sentimento confiável, mas o que é a felicidade além de uma deliciosa sensação de bem estar que muitas vezes nos trai? Nós a buscamos e quando a ela chegamos,ela se mostra mais à frente, mais adiante. Felizes daqueles que têm seqüências de momentos felizes suficiente para acreditarem que são realmente felizes! O normal é desejarmos casar e depois de casados termos eventuais dúvidas se não deveríamos estar solteiros... A sede humana de felicidade não tem fim. Deseja-se uma TV e logo que a temos desejamos uma outra maior... Compra-se um PC e logo queremos um lap top, ou um PC mais veloz, com mais memória, com monitor LCD, com uma cor que combine com a casa. ..
É mais fácil ser feliz quando longe das vitrines...

Quando conhecemos alguém e somos seduzidos por presentes e passeios, flores e bombons, poemas e cartões, decidimos viver com essa pessoa que não mais tenta nos seduzir, isso é traição?
Um descuido, uma fraqueza pode nos levar a uma transa fora, que pode ocasionar um profundo arrependimento e nos mostrar o quanto amamos quem temos em casa... Mas o que fazer? Devemos confessar? Confessar uma traição, antes de ser uma solução de um problema, é a criação de um problema maior ainda, no geral, só se confessa uma traição quando se decide pela separação. Perdão é algo muito mais fácil de ser dado do que ser mantido, na maioria das vezes é desconfortável ser perdoado, por pressupor que erramos e que fomos maus com alguém tão bom... (Ah, os bonzinhos são tão chatinhos! Os cafajestes sim, nos dão oportunidades de exercer o amor pleno!)

A traição é representada na linguagem popular por uma imagem concreta e palpável: o chifre! Quando se fala a palavra traição, mesmos os românticos, são imediatamente remetidos a cenas de adultério, beijos, carícias, transa, sexo... Seria o amor algo tão puramente físico?
Sonhar com uma outra pessoa, imaginar-se transando com ela, tem o nome de fantasia, que só será considerada traição mediante o toque físico. Mas quem não se sentiu traído mediante uma mentira ou uma ocultação de verdade? Fantasias ainda que eróticas com amores alheios não configuram uma traição, assim como a intenção de matar não configura um crime mas podem denotar uma insatisfação, que é o pontapé inicial se não para a traição, para uma convivência caótica. Viver no caos por pura incapacidade de ir à luta é traição?

As pessoas que não pulam a cerca por falta de oportunidade, são adúlteras em potencial?
O que dizer da traição latente, dormente, virtual? O que dizer daqueles 3 segundos em que aquela bunda passa, enquanto um par de olhos indefectíveis e cabelos impensáveis entram no bar trazendo um desconforto desconcertante? Aquela magia rápida que termina num ligeiro sobressalto quando se está acompanhado?

Se eu fosse falar no que acredito diria que o mundo é composto por dois grupos de pessoas: Aquelas que traem o outro e aquelas que traem a si mesmas.

2 comentários:

  1. Você disse exatamente o que eu penso!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, concordamos, pois!
    E você fez exatamente o que mais gosto: COMENTOU! Obrigada por isso!
    Abraço grande Sr ou Sra Anônimo(a)!

    ResponderExcluir

Fique à vontade pra dar sua opinião.