19 de abr de 2011

DIA DO ÍNDIO, DIA DE DR (Darcy Ribeiro)



Uma força pros antepassados de todos nós brasileiros... 
Poderia ser mais alegre, mas uma história que começa c/ domínio do dono da casa, não poderia ter um final feliz...

AINDA BEM QUE NÃO TERMINOU.
AINDA TEM ÍNDIO NESSE DIA DO ÍNDIO!!!


www.youtube.com

Homenagem a todos os índios do Brasil ao som de Jorge Ben.








Tenho a impressão de que o real nome da musica seja Todo Dia Era dia de Índio e talvez haja parceria do Tim Maia com o Benjor, não vou pesquisar agora. Fica mencionado por enquanto.


Uma coisa leva à outra.

Eu  tenho cá a minha porção consciente (porque tenho conhecimento)  de DNA silvícula.

Como também sou afrodescendente e, deve haver nessa receita improvisada feita meio na correria, umas pitadas pálidas oriundas da 
Europa...
Mas hoje é Dia do Índio! 


Por isso minha amiga postou o texto abaixo acompanhado da mesma música na interpretação de Baby do Brasil, na época ainda chamada Consuelo - Baby Consuelo:
"Fracassei em tudo o que tentei na vida. 
Tentei alfabetizar as crianças

brasileiras, não consegui. 
Tentei salvar os índios, não consegui. 
Tentei fazer

uma universidade séria e fracassei. 
Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei. 
Mas os fracassos são minhas vitórias. 
Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu." ( DARCY RIBEIRO )


E aí é impossível não falar de Darcy no Dia do Índio e fazer desse dia Dia do índio Darcy...

Ele pensava o que todos os pensantes pensam diante da atualidade brasileira.


"Ultimamente a coisa se tornou mais complexa porque as instituições tradicionais estão perdendo todo o seu poder de controle e de doutrina. A escola não ensina, a igreja não catequiza, os partidos não politizam. O que opera é um monstruoso sistema de comunicação de massa, impondo padrões de consumo inatingíveis e desejos inalcançáveis, aprofundando mais a marginalidade dessas populações"


Porque ele fracassou? 

Porque nós continuamos fracassando?
Desejo ardentemente que seja apenas porque a história ainda não chegou ao final, mas é preciso agir rápido, o final pode ser a qualquer momento. A direção dessa fita é temperamental e egoísta e nós temos sido ausentes...











6 comentários:

  1. Quero crer que esse país tem jeito. Que encontraremos crianças que se encantaram com um livro. E que uma grande parcela da classe governante vai investir na Educação.

    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada!
    Olha faz tempo que não tenho esperança... Mas ultimamente até que vinha recapitulando.
    Só que o Globo Repórter de hoje me deixou desiludida quanto a isso. Tento me consolar dizendo que a matéria mostrou classe média alta, fico animada quando vejo os projetos sociais bombando, o brilho nos olhos da garotada, feliz por ter seu professor de música e estudando pra conseguir a posse definitiva do seu instrumento. Mas a luta desses agora pequenos contra filhinhos de papai embriagados é injusta, desumana e me dá calafrios....

    ResponderExcluir
  3. Rozzi,

    a história aind anão acabou, e Darcy Ribeiro não venceu, não porque não lutou, mas porque neste nosso país há anos, nada se faz em prol do povo; infelzmente dependemos de politicos que na maioria estão pensando somente nos próprios beneficios.

    Mas ainda temos índios, quem sabe esta geração que esta vindo por ai. lutando pelo ecosistema e pela preservação da vida, faça algo por eles e assim por nós também.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá Rozzi!
    Parabéns por seu blog! Vim aqui te conhecer através da indicação da Kassya!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  5. Oi, Kassya! Obrigada pela participação e fiel "audiência"!
    Eu tenho admiração profunda pelo Prof. Darcy Ribeiro. Uma ilustração bem concreta que interliga os ideais dele, o seu comentário, o meu post e o nosso desencanto mesclado com a burra, às vezes absurda mas sempre indispensável esperança, é a idéia dos CIEPs. Preferências políticas à parte, era uma idéia magnífica: Juntar condições de lazer, alimentação reunindo as famílias dos estudantes ensino e atividades culturais. Não vingou, é hábito dos nossos políticos não dar sequencia às iniciativas dos que lhe são opostos, postura que prejudica o povo. Por conseguinte, o povo precisa de escolaridade e educação para ter visão política e votar melhor, sem a visão imediatista e sem manipulação. Vivemos um cenário onde nossas urgências não tem soluções a curto prazo. A medida da necessidade da população não é a mesma dos mandatos e interesses dos políticos, né?

    ResponderExcluir
  6. Jackie, prazer enorme tê-la aqui! Obrigada por ter vindo e participar! Fico feliz que tenha gostado e fique à vontade para sugestões. Beijo grande!

    ResponderExcluir

Fique à vontade pra dar sua opinião.