14 de out de 2011

FESTIVAL DO RIO 1

Festival de Cinema do Rio:

Eu vi um filme que me emocionou muito: "Contra o tempo". Dei de pensar nas escolhas, nas pessoas que recebem ordem e simplesmente cumpre; nas pessoas que questionam a ordem recebida.Pessoas que nasceram para o heroísmo. Estou com preguiça de falar sobre o filme, talvez um trauma de quem um da ousou escrever sobre filmes... Mas numa cena fui arremessada para o famoso Avatar. De novo me questionei sobre a grandiosidade da inteligência, diante do egoísmo de uma grande descoberta. Achi um filme cheio de lições e gostei!

"Triângulo Amoroso" é a abordagem cinematográfica mais moderna que já vi sobre sexualidade. Ah se todos fossem iguais aqueles três!

"Mãe e filha" me deprimiu. A princípio achei que era uma versão sertaneja da "Casa de Areia", talvez seja, mas casa de areia não me entristeceu...

"Quinze pontos na alma" um filme de grande sensibilidade, definido nos detalhes. Diálogos maravilhosos, artista belíssimos! Mas será que estou certa quando penso que o sofrimento pode fazer falta para um ser? A mulher tinha uma vida perfeita, um marido lindo, um bom emprego e um dia descobriu que precisava de um pouco de sofrimento...Já vi esse filme, mas era vida real.

Bem só pra eu não esquecer de falar sobre isso tudo, individualmente...

Na sessão de quinze pontos na alma, os produtores estavam presentes.No final o diretor respondeu às perguntas da platéia. Todas as perguntas eram técnicas. De repente a fila fora da sala de projeção deu de vociferar...

Quem compra 30 ingressos, assiste mais de 5 filmes  num dia só, assiste mesmo ao filme ou observa a criação?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade pra dar sua opinião.