19 de mar de 2011

FELICIDADE





Eu sou a desempregada mais bem sucedida do universo.

Inventei um trabalho e me sinto trabalhando com o que gosto.

Não tenho horário pra viver, mas é muito legal viver meus momentos de trabalho.

Se é que conseguem me entender.

É duro, se não "correr atrás" não ganho nada. Se correr, preciso contar com muito talento e uma porção maior ainda de sorte e ainda gasto...

Ninguém me entende, pois às vezes não consigo dar um parabéns nos aniversários. Fica complicado fazer visitas nos fins de semana, passear quando todos passeiam...

Mas tem pior, né, gente?

Tem gente que adora contar histórias tristes, pior: viver tristemente...


No pessoal, sinto-me bem e realizada:

me faço feliz e quem está em volta sorri também...

Faz parte do sentimento de realização, perceber o quanto falta para nos sentirmos realizados.


No geral, nos dias de hoje, ser feliz é ter valores e sentir-se em consonância com eles.

Sou feliz, pois! Ser feliz pressupõe momentos de falta de felicidade, às vezes até alguma infelicidade. Não dá pra ser feliz com o mundo inteiro girando sem parar e o tempo que não para, mas dá pra ser feliz vivendo, com parênteses de pausas, vírgulas, silêncios e alguma meditação.

2 comentários:

  1. Eu gostaria de viver assim, mas ainda teimo em arrastar corrente de vez em quando. Não quero ser desmpregada por muito tempo. É ruim. Mas fazer o quê, né. Saudade Amiga!

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto desta expressão: "arrastar corrente". Fantasmagórica e bem humorada.
    Falta pouco com certeza, enquanto isso tentar fazer um ritmo maneiro com os sons das correntes, quem saber se consegue dançar!!!

    Obrigada pela participação. bj

    ResponderExcluir

Fique à vontade pra dar sua opinião.